Hábitos saudáveis: minha experiência e 8 dicas #Força2017

Olar,

Eu não sou nenhum exemplo de fitness ou de garota maromba – nem nutricionista – mas em 2014 comecei a mudar mais os meus hábitos e isso vem me transformando para melhor. Busco, diariamente, me reeducar na alimentação e não ser mais sedentária. Acompanhem primeiro minhas queridas dicas e em seguida meu relato sobre minha experiência de reeducação alimentar, será que funcionou? ❤

– DICAS – 

Aquelas dicas clichês, porém com minha experiência.

  1. Beba muita água

Tenho muita dificuldade de beber água, já tive várias infecções devido à isso! Solução: comprei um copo lindo que fica na minha bancada e ando sempre com uma garrafa dentro da bolsa para que eu possa sempre encher e controlar a quantidade de água que eu tomo. Você também pode criar lembretes diários em seu celular ou um post it na bancada ou  até  aromatizar a água com rodelas e limão ou mais. Tenho muita retenção de líquido e quando tomo muita água, começo a desinchar mais rápido, além que a nossa pele e cabelo mudam completamente (para melhor) – água é vida.

2. Chá, café e vitamina C

Criei um hábito de tomar chás que tem me ajudado muito, o meu favorito do momento é o chá de hibisco! Sinto uma diferença total no mês em que tomo o chá, nem que seja dia sim dia não. Geralmente faço em torno de 500ml e vou tomando ao longo do dia, ele me ajuda com a minha retenção de líquido. Assim que acordo já faço (nada de sachê! Comprem o hibisco natural), encho de gelo e tomo bem geladinho. Tomem com moderação, nada com exagero faz bem. Geralmente eu tomo de 3 por vezes na semana.

Modo de preparo: Coloque 500ml de água para ferver, quando ferver apague o fogo e coloque meia colher do hibisco, abafe por alguns minutinhos e já está pronto. Se quiser pode acrescentar gengibre (amo).

Clique Aqui para saber mais sobre os benefícios do chá.

Café eu também fui me adaptando com um tempo e hoje não vivo sem (meu queridinho), sem açúcar e sem adoçante ok?  Para mim, ele tornou-se indispensável pela manhã e antes do treino, quando bate a preguiça tome uma xícara de café e VAI! Como ele também tem uma ação termogênica, te faz suar muito mais nos exercícios melhorando a retenção de líquido. Nosso querido tem tantos mais benefícios, Clique Aqui para conferir outros inúmeros benefícios ❤

Segura a dica: Vitamina C com arginina fez a diferença na minha disposição e imunidade, mas você tem que tomar todos os dias e após um mês irá conseguir ver a diferença.

3. Escolhas porções menores e ‘segunda eu começo’

Comece aos poucos a sua reeducação alimentar para conseguir levar isso para o resto de sua vida! Nada de porções GG, agora escolha a PP. No início é difícil, mas busque a força de vontade. Não entre em desequilíbrio no final de semana com a promessa que ‘segunda’ eu começo, um final de semana pode destruir a sua semana toda. Se antes você ‘jacava’ sexta, sábado e domingo, procure um equilíbrio e aos poucos procure manter o foco na maioria das refeições e daqui a pouco você estará escolhendo apenas uma refeição por final de semana para dar aquela escapadinha (sem pressão). Procure se mexer no final de semana também! Escolha um dia para fazer musculação ou pedalar ou uma caminhada, vale qualquer coisa e por falar nisso…

4. Exercite-se, tira a bunda da cadeira!

Hoje eu posso dizer que sinto o prazer em fazer exercício, seja uma aula de dança, musculação, uma caminhada, enfim quem ler pensa que sou a própria atleta, mas não é bem assim. Passei muitos anos da minha vida sem praticar nenhum tipo de exercício e hoje me sinto uma evolução (quero me manter ao máximo assim). Exercícios e uma alimentação saudável se complementam (almas gêmeas), não adianta fazer um sem o outro (já testei várias vezes).

5. Vá ao nutricionista

O maior clichê de todos, mas depois que me consultei vi a diferença que fez em minha vida. Ele me apresentou todas as minhas necessidades, pude saber das quantidades ideais de alimentos que preciso consumir, enfim. Valeu o investimento, mas calma eu não vivo de dieta! Bom, infelizmente eu não sou tão regrada e não consigo seguir a risca, mas eu pude saber o que era essencial para mim, descobri muita informações sobre meu corpo, tirei todas as minhas dúvidas e percebi que muita coisa eu fazia errado! Recomendo sempre a busca desse profissional ❤

6. Pratos coloridos e onde habitam

A temida salada chegou, mas calma, eu tenho a solução. Eu detestava salada, mas sempre gostei de legumes e frutas. Para resolver o ‘problema salada’ comecei a incrementar com limão, vinagrete, azeite e com isso passei a comer mais salada (nada de molhos condimentados ein, por favor) Depois de um ano comecei a amar. Procure sempre fazer pratos bem diversificados, rale uma cenoura, enfim. A diversidade do modo de preparo irá fazer com que você consiga ingerir esses alimentos todos os dias!

Não exagere nas frutas, tem gente que se empanturra de sucos e frutas achando que está fazendo a melhor opção, fruta contêm açúcar, mas calma que elas tem milhões de benefícios e são essenciais, então… Consulte um nutricionista para saber as quantidades certinhas. Por falar em frutas…

7.  Trocas saudáveis e se reeducando aos poucos

Tem gente que leva um pacote de biscoito por ser mais prático, me digam algo mais prático do que descascar uma banana ou embrulhar uma fruta e colocar na bolsa. Gente ser saudável pode ser prático sim. Para começar aos poucos, tente trocar o arroz/pão/macarrão comum por integral; reduza a quantidade de carboidratos a noite; consuma mais proteína, mas evite a carne vermelha; se quer tomar um sorvete no final de semana, que tal aquele que é mais natural? Evite os líquidos nas refeições; esqueça o refrigerante e evite ao máximo as frituras (se puder esquecê-las, melhor ainda). Tantas pequenas mudanças que podem mudar nossa saúde

8. Cheque os ingredientes e evite os industrializados

Desde que fui na nutricionista percebi que é fundamental checarmos os ingredientes dos alimentos industrializados, o primeiro que contêm na lista é o que tem em maior quantidade e assim por diante. Quanto menos ingredientes melhor e mais natural. Faça o teste pegando um iorgute natural e um de grego de maracujá (por exemplo). Quando aprendemos isso vemos que as vezes um alimento que julgamos ser saudável, não é tanto assim ou aquele pão que se diz 100% integral tem adição de farinha e por aí vai.

O melhor mesmo é evitarmos os industrializados e optarmos por alimentos mais naturais. Nesse último ano aprendi a fazer várias receitinhas naturais (que quero compartilhar com vocês em breve).

Essas foram as minhas oito dicas (teremos ainda muito mais) que fazem a diferença no meu dia a dia, essas mudanças me fizeram ter mais disposição, menos dores intensas de cabeça e tantos outros benefícios como melhoria do meu cabelo e pele.

– RELATO –

Em 2014, comecei a perceber muitas mudanças e com o passar dos  6 meses de intercâmbio emagreci 8kg. Quando cheguei no Brasil marquei um nutricionista que mudou a minha vida, pois eu pude ver que apensar de ter emagrecido 8kg eu ainda estava muito “gorda” no sentido de ter um índice alto de gordura no meu corpo e isso se deve a falta de atividades físicas a a má dieta. E sim, saí com esse medo da palavra DIETA, para mim isso era um pesadelo total. Vi que os meus músculos estavam se atrofiando (isso mesmo produção) e que musculação era necessário para eu conquistar meus pequenos músculos novamente. Será que virei garota fitness? Nada disso, esse não era o meu objetivo. Queria uma reeducação alimentar e não ser mais sedentária. Tentei acompanhar ao máximo a minha dieta e a fazer musculação, com um mês eu já percebi a diferença, eu emagreci pouquíssima coisa, mas o meu corpo começou a pegar mais forma. Quando você emagrece da maneira correta é bem diferente. Infelizmente eu não consegui acompanhar 100% da minha dieta, mas ir ao nutricionista fez total diferença! Eu pude ver os meus percentuais de gordura (não se iluda com  peso na balança), pude conhecer as quantidades ideais de alimento para mim, o que meu corpo realmente precisava, além de muitas outras informações pessoais sobre sua saúde que só o nutri (<3) te fornece. Com três meses que você começa a ver a diferença fazendo musculação, leva um tempo e por isso muita gente desiste nos primeiro meses. Bom, minha reeducação alimentar vem desde 2014 e sim eu ainda como besteiras de vem em quando, extrapolo às vezes, mas você começa a perceber que suas escolhas mais saudáveis fazem um bem tão grande que passa a carregar isso (com prazer) para o resto da vida e a tendência é sempre melhorar.

Não sou a garota exemplar (bem queria), mas espero que com esse post eu possa te influenciar a querer iniciar uma vida mais saudável, não perca tempo e não deixe só para segunda, eu comecei em uma quarta-feira! Os resultados na saúde e corpo são incríveis ❤

Teremos receitinhas saudáveis e ainda mais dicas de bem estar, logo logo aqui no bloguinho

DICA EXTRA para quem chegou até aqui!

Um grupo de amigas de Fortaleza criaram um instagram @desafiofriendsfit são meninas gente como a gente que compartilham força, determinação e cada uma com um objetivo diferente, está sendo um grande incentivo acompanha-las. ❤

CONFIRA TAMBEM:

05 dicas de Café da Manhã: mais prático, saudável e gostoso. + super dica!

Nada de fast-food! Escolhas saudáveis no shopping! yami!

Tornando sonhos em projetos. Como alcança-los?

E para você? O que é rotina?

As pessoas costumam se lamentar sobre a rotina, ou que algo ‘caiu na rotina’ ou que não aguenta mais a mesma rotina. Será que não é uma questão de percepção? Para você o que é rotina? E o que você considera ‘sair da rotina’?

Tinham épocas que eu ia para o trabalho, do trabalho para a academia, da academia para a faculdade e todos os dias desejava que o final de semana chegasse logo, mas não sei para que esse desejo se os finais de semana eram sempre do mesmo jeito. Pensava que só se eu fizesse uma viagem ou fosse para alguma festa no meio da semana, isso sim era ‘sair da rotina’. Com um tempo percebi que não era bem assim. A rotina pode ser sim prazerosa. A partir do momento que você pára e presta atenção ao ambiente e as pessoas ao seu redor, você vai perceber que todos os dias são diferentes. Comece a enxergar que em meio ao caos existe algo a ser notado, comece a treinar o olhar, observe bem ao seu redor e talvez você comece a entender que a ‘chata’ rotina  só existe na sua mente.

Tente mudar a rota ou estacionar em um lugar mais afastado para ir andando, comece a ler algo inusitado, visite lugares que antes você não daria a mínima, converse mais com as pessoas, às vezes aquele desconhecido sentado ao seu lado (na faculdade, na escola, no trabalho, na sala de espera, enfim) seja uma pessoa que venha a acrescentar em sua vida (ou não, dê a chance), cumprimente mais a todos os indivíduos (palavras gentis são sempre bem-vindas), tente fazer algum trabalho manual (por mais que você não leve jeito com isso), explore o seu guarda-roupa (veja tudo o que você tem e ao invés de comprar mais, use sua criatividade), vá aos poucos organizando sua casa ou seu quarto ou aquele armário da bagunça; se hoje você fez uma caminhada, amanhã tente andar de bicicleta, enfim, procure, nas coisas simples, algo prazeroso que faça valer a pena a sua ‘rotina’.

Instagram: @cibelefranck

Confira também:

Viajando sozinha: o que descobrir?

Tornando sonhos em projetos. Como alcança-los?

2016 e meu problema com metas.

Por que você precisa conhecer o Chalé Nosso Sítio?

Casa 4122 – HostFamily – Diário de Intercâmbio #7

Por que você precisa conhecer o Chalé Nosso Sítio?

De novo? Novamente, mais uma vez.

Criei uma afeição e carinho com o local. Eu já relatei a minha experiência com o Chalé Nosso Sítio (Clique Aqui), mas depois de mais umas 2, 3 ou até 4 idas, venho, através desse post, te convencer à conhecer este lugar.

Localizado em Pacoti-CE, é um lugar que me deixa conectada com a natureza, com os animais, em que você tem a oportunidade de apreciar um sabiá cantando, deitado na rede do alpendre (leve sua rede), fazer trilhas, relaxar com o silêncio, sentir o cheirinho de mato molhado e se perder no tempo (esquecer das horas e que dia é hoje).

Eles tem a opção de apartamentos ou chalés, mas nunca me hospedei nos apartamentos. Amo ir para os chalés. Sempre vou com a família, só que com os amigos também é uma boa pedida. Quando você chega se depara com uma recepção simples e eles te indicam por onde você deve seguir até chegar na hospedagem (sim, a área é enorme e a área principal é bem isolada. O que é maravilhoso, pois você fica imerso no verde). Cada um tem um chuveirão (delicioso) e uma churrasqueira (levem o carvão e o churrasco, pois é uma maravilha), além disso você conta com uma suíte, um quarto, banheiro, sala com TV e cozinha (geladeira, fogão e equipamentos). Gente é sua “própria” casinha ❤

Se você quiser, não precisa sair de lá para nada. Na área principal tem restaurante, piscinas, passeios à cavalo, fazendinha (sempre vou no final da tarde para alimentar os coelhos), parquinho infantil, quadra de basquete, campo de futebol e espiribol (Lembram? A cara da infância, amo), além de uma fogueira a noite em um ambiente de clima fresco e lembrando que a wifi funciona ❤

Se reúna com pessoas que você ama, marque sua ida e fuja um pouco da correria do dia-a-dia.

Dicas:

  • Caso você queira algo bem reservado: Chalé Vermelho e o Damasco é a sua pedida (fica mais distante da área principal e a wifi não é tão boa, porém são os mais privativos, amo);
  • Meu chalé favorito é o Mostarda (reservado e central);
  • Leve várias redes;
  • Compre carvão e carnes para fazer churrasco (não deixe de fazer);
  • Prepare diversas playlists, sugestões: Hora do churrasco; Relax final de tarde; Trilha; e, Vinho com amigos. Gostou? Só falta você colocar suas músicas favoritas;
  • Compre vinhos, queijos, petiscos. Dá para fazer um ambiente bem aconchegante à noite no alpendre;
  • Não esqueça do tênis e roupas leves, além da roupa de banho;
  • Sabe aquele livro que você nunca consegue terminar? Não esqueça dele;
  • Seu pet vai amar (o meu é apaixonado) ❤
  • E o que mais você queira levar (nossa bagagem é sempre grande).

Meu amor é declarado, ficamos contando os dias para retornar. Se isso não foi suficiente para te convencer, confira mais informações no site (Clique Aqui) e fique com algumas fotos:

Viajando sozinha: o que descobrir?

Eu sou do tipo apegada à família, eu e minha mãe somos melhores amigas. Tenho amigos e namorado que posso contar para todas as horas. Já namoro há 7 anos e quando tínhamos quase 6 anos de namoro, decidi fazer um intercâmbio de seis meses. Ia realizar o meu sonho de morar na California e claro, meu namorado, meus amigos e família me deram o maior apoio do mundo (agradeço muito à eles pela força, pois talvez eu não tivesse conseguido sozinha). E por falar em sozinha, percebi que estava ‘eu e eu’ apenas quando cheguei na primeira escala em São Paulo. Me bateu um desespero inicial de que eu não iria consegui e no final deu tão certo que voltei renovada, em minha percepção mudei para melhor.

Quando estamos em um relacionamento a muito tempo, seja com um parceiro (a), um grupo de amigos e até mesmo a família, nós (sem querer) começamos a herdar manias, rotinas, características dessas pessoas, às vezes, os gostos daquelas pessoas tornam-se os seus e por aí vai. Eu sei que você pode achar que não, mas passe um tempo longe de todo mundo, talvez você mude de opinião.

Meu primeiro mês longe de todo mundo eu sentia um vazio, não tinha alguém para me acompanhar para os lugares incríveis que eu estava conhecendo ou para ir à uma hamburgueria ou um café, um bar ou até mesmo para comentar alguma coisa que acabara de acontecer. E sem perceber, eu comecei a descobrir que a minha companhia era ótima, que eu não precisava de alguém para me sentir completa, vi que certos hábitos não combinavam mais comigo, e isso aconteceu com comida, música, lugares que antes eu frequentava, enfim parecia que eu tinha um lado nunca explorado ou que esse lado ficou adormecido por um tempo.

Para alguns pode parecer difícil, mas qualquer dia faça o teste: se arrume como se fosse para um encontro, vá ao seu restaurante favorito (ou café ou bar ou qualquer lugar que você geralmente vai com alguém e que se sinta bem) e o principal, vá sozinha (o), porém, curta o momento e se você tiver achando estranho ou sentir vontade de chamar alguém ou querer ir logo embora, é um sinal que talvez a sua companhia não seja o suficiente.

Não estou falando para se isolar do mundo, mas se conhecer profundamente é fundamental para o bem estar.

Nessa viagem eu me permiti, permitir que as pessoas facilmente me conhecessem, pensei muitas vezes sobre quem realmente eu sou, dos meus gostos, dos meus medos e vontades. O mundo conspira para que você nunca confie em ninguém, mas se permita conhecer melhor as pessoas, se permita curtir aquele momento que você está vivendo. Quando nos conhecemos de verdade, criamos algo chamado amor próprio – não confunda com orgulho – você nunca estará sozinha (o) quando  descobrir a capacidade de se fazer feliz.

CONFIRA TAMBEM:

2016 e meu problema com metas.

Tornando sonhos em projetos. Como alcança-los?

Califórnia: Diário de Intercâmbio #1

Casa 4122 – HostFamily – Diário de Intercâmbio #7

E o diário de intercâmbio continua ❤

Hoje, vim relatar a minha experiência com Host Family e já adianto que foi a minha melhor escolha. Senta que lá vem história.

Antes de fechar o meu intercâmbio, tive que decidir qual o tipo de hospedagem era melhor para mim. Dentre as opções tinham: Apartamentos individuais, hostfamily, hostel, hotel, apartamentos para dividir, enfim ‘N’ possibilidades. Primeiramente deixei pago apenas um mês de hostfamily, pois eu queria ter essa experiência e queria chegar na cidade com o sentimento que iria ter alguém lá me esperando. Eu queria pagar um mês de hostfamily e depois procurar um apartamento para dividir com outros estudantes.

Inicialmente a minha experiência não foi muito boa na primeira casa (clique aqui para saber mais), mas na minha primeira semana já fui na escola e disse o bairro que eu queria morar e que eu queria uma família americana (sim, existem host que são estrangeiros, mas são cidadãos americanos). Em dois dias ela conseguiu uma família que atendeu as minhas pequenas exigências, era a casa 4122

Quando estava tudo certo, providenciei minha mudança (mala e cuia de trolley e ônibus), meu primeiro desafio: ela me ligou (nunca tinha falado com um americano por telefone e acreditem, é mais difícil do que você pode imaginar). Ela confirmou tudo por telefone comigo, me passou algumas dicas sobre a casa. Cheguei, não tinha ninguém, mas me instalei conforme ela me falou e fiquei o dia esperando ela chegar do trabalho (eu não consegui sair de casa, estava muito ansiosa!) Quando ela chegou foi maravilhoso, ela com aquele sotaque californiano, com uma cachorrinha na mão ao lado da sua neta. Conforme o tempo ia passando eu ia me adaptando ainda mais ao 4122, éramos eu, a hostmom, sua neta de 7 anos, sua filha mais velha e um chiuaua. Na esquina tinha um Starbucks, na outra uma 7Eleven, além de mercadinhos, target, academia, Wholefoods, restaurantes, paradas de ônibus e praia. Para mim, era um paraíso.

Me adaptei perfeitamente à eles, a casa, as pequenas regras e perguntei se tinha a possibilidade de passar os outros 5 meses lá, ela pensou durante um dia e aceitou. A família passou por algumas desavenças durante esses meses, eu passei por algumas situações constrangedoras, mas nada me fazia desistir do 4122 e da minha hostmom tão maravilhosa (isso é o que importa). Começamos a ter uma ligação forte, eu enxergava nela um apoio. Dizem que os americanos são trancados e isso é verdade, mas quando eles criam afeição por você, eles se entregam e são muito carinhosos. Em dois meses eu já tinha chamado uma amiga da Suíça para morar comigo lá e já conhecia toda a família ❤

Dica: Se você se adaptar, assim como eu, você pode negociar diretamente com a família um valor, e ao invés de pagar à escola, você paga à eles (sai quase metade do valor)

Alguns momentos inesquecíveis:

❤ No meu último mês de intercâmbio eu geralmente ficava um pouco triste, primeiramente com saudade da minha família no Brasil e depois pela despedida que já já iria acontecer. Quando eu ficava assim, minha hostmom notava e sempre fazia um jantar que eu gostava, acendia a lareira, me dava um pote de sorvete de menta com chocolate e assistia filmes comigo (eu, ela e a minha host sister). Eu me sentia tão acolhida e amada.

❤ No segundo dia ela me levou para conhecer a mãe dela, uma idosa de 90 anos que mora no mesmo condomínio de casa que ela. A casa dela é bem de vovó e ela muito fofa, conversou horas comigo, me fez uma torta de maça e disse “Minha filha, sempre que quiser pode passar aqui”

❤ Uma vez roubaram minha carteira com meu passaporte em uma nightclub (história para um outro capítulo), o consulado brasileiro fica em Los Angeles e ela fez questão que o irmão dela me hospedasse na casa dele e me ajudasse e ele fez tudo por mim (jamais vou esquecer). Ele mora com o marido (sim) e em uma casa maravilhosa em Beverly Hills (isso mesmo). Eu fiquei chocada, além dessa experiência, eles me proporcionaram um dia incrível indo a restaurantes super locais e bem chiques e não me deixavam pagar por nada (que minhas memórias desse dia nunca morram)!

❤ Eu me senti muito da família no dia que minha host me chamou para assistir Malévola na cama dela, com a host sister e comendo pipoca (besteira, mas me senti muito especial)

❤ Despedida: 3 dias antes de eu partir para o Brasil, ela me deu um presente, um cartão, me abraçou forte e começou a chorar e eu (adivinha…) também e muito. Foi muito dolorosa a despedida, pois eu já me sentia em casa, já tinha laços fortes com ela (e já começo a me emocionar escrevendo…). Até hoje trocamos SMS quase todos os dias (isso mesmo, ela não usa WhatsApp).

❤ eu poderia escrever um livro de momentos como estes (…)

Recomendo para qualquer um Host Family ou, ao mesmo, tentar. Devemos está abertos ao novo, deixar certos costumes de lado. Eu consegui me adaptar em uma nova rotina, novas regras, pessoas totalmente diferentes de mim, além disso, criei laços de amizades que permanecem até hoje, pude provar comidas maravilhosas (outras nem tanto), participei de um verdadeiro churrasco americano assistindo jogo de futebol americano com fanáticos, passei de porta em porta com a minha host sister para colher doces de halloween, pude presenciar dois momentos em família maravilhosos (Thanksgivin e o Natal) com direito a um peru enorme, lareira e drinks festivos como (eggnog). Além de tantos momentos bons e inesquecíveis que os “perrengues” nem vale a pena mencionar.

Instagram@cibelefranck

CONFIRA TAMBEM:

Califórnia: Diário de Intercâmbio #1

San Diego – CA: Transporte Público – Diário de Intercâmbio #5

San Diego – CA: Escola (LSI – Language Studies International) – Diário de Intercâmbio #4

San Diego – CA : De um sonho americano para um sonho mexicano? Diário de Intercâmbio #3

Tornando sonhos em projetos. Como alcança-los?

Você se considera uma pessoa sonhadora? Se sua resposta for ‘sim’, ótimo! Se for ‘não’, tente refletir sobre sua vida, se imagine velhinho sem arrependimentos de não ter tentado fazer algo. Cabe a você definir o que é um sonho, será que é reatar a amizade com alguém distante? Trabalhar naquilo que te faz feliz? E aquele curso profissional? Yoga? Fazer uma tatuagem? Comer comida de rua no Vietnã? Dançar como se ninguém estivesse olhando?Ter filhos? e quando tiver filhos, o que você sonha em ensina-los? Seria seu sonho realizar o sonho de alguém? Já pensou em adotar um animal ou escrever um livro? Enfim, por mais simples ou impossíveis, os sonhos são projetos de vida que você tem que colocar em prática para que eles se realizem.

❤ Liste, mas sem pressa

Talvez demore dias, semanas ou anos. Pense em você no seu último dia de vida, o que você queria ter feito? Liste teus sonhos sem ordem, sem planejamento. Não vai ser fácil, você pode querer muda-los no meio do caminho (tudo bem, mudanças são necessárias)

❤ Divida-os por categorias

Se preferir, separe por categorias. Podem ser: Profissionais, Viagem, Pessoais, Relacionamentos, enfim, você que manda.

❤ Estabeleça prioridade

Você pode definir uma lista de prioridades ou simplesmente deixar fluir (é você que manda).

❤ Responda algumas perguntas fundamentais

Para que possamos alcançar nossos objetivos é preciso saber o que fazer para alcança-los, comece respondendo algumas perguntas para cada sonho:

  1. Qual será o custo?
  2. Como irei realizar esse sonho?
  3. Você irá depender de alguém? Quem?
  4. Para quem e por que vou realizar esse sonho?
  5. O que me fortalece para realizar isso?
  6. O que me enfraquece para realizar isso?

Caso a pergunta não fizer o menor sentido, pule. Se quiser acrescentar outras perguntas para que aquele plano fique claro em sua mente, acrescente.

❤ Coloque em prática

Comecem a se mexer! Quando você visualizar o seu sonho em formato de projeto, você estará mais perto do que nunca! Após responder as perguntas e priorizar a lista de sonhos, você vai ter que colocar em prática, correr atrás. Não pare para olhar as pessoas realizando o sonho delas e você ficando no mesmo lugar, foque em você e nos seus objetivos.

❤ Seja otimista

Acredite sempre que vai dar certo, crie expectativa. A vida é mais leve quando temos pensamentos positivos. E por mais que tudo não saia conforme o planejado ou na hora que você tanto quis, acredite: um dia vai dar certo. Por isso que são projetos de vida e não “metas do ano tal”. Não seja tão imediatista, seja sonhador, planejador e positivo.

Espero que esse post tenha ajudado ou incentivado vocês. Não é preciso seguir exatamente o que tem aqui (meus sonhos = minhas regras), mas espero que tenha dado aquele empurrãozinho que estava faltando ou te dado um norte para começar.

CONFIRA TAMBEM: 2016 e meu problema com metas.

INSTAGRAM: @cibelefranck

2016 e meu problema com metas.

2016, para muitos, foi um ano de muitas dificuldades. E foram essas dificuldades que me transformaram. Conforme o ano ia passando, eu ia me distanciando cada vez mais das minhas metas. Isso me deixava furiosa, depois frustada e em seguida muito decepcionada comigo e com a minha vida (drama queen). Comecei a ler mais sobre a felicidade, a me espiritualizar mais e me interessei pela meditação. Quanto mais eu lia, refletia sobre minha vida e trabalhava minha espiritualidade (fé), eu enxergava que a felicidade só dependia de mim! Do meio do ano em frente eu cheguei a conclusão que quanto mais eu tinha pensamentos negativos mais pesada era a carga que eu carregava. Apesar de saber disso a vida inteira, eu nunca tentei praticar. Descobri que 50% da sua felicidade já nasce com você (ninguém te tira), 40% depende da sua personalidade, dos seus gostos pessoais (música que você gosta de escutar, livros, esporte, seus interesses pessoais) e apenas 10% depende dos fatores externos (relacionamentos, viagens, situação financeira, emprego, etc). Seja mais os seus 90%, não deixe que os 10% te dominem! Você verá a leveza em sua vida. Em dias de chuva deixa raiar o sol que existe em você. Comece a enxergar a vida de uma outra perspectiva, pois se você não é feliz com o que você tem hoje, você não será feliz com o que você irá conquistar amanhã. Seu cotidiano se tornará mais leve, irá começar a enxergar os problema de um outro ângulo, entenda que os obstáculos postos em sua vida são para testar sua fé (não perca), eles são importantes para te deixar mais forte, pois você não chegará ao topo da montanha sem atravessar os obstáculos.

No dia 1 de janeiro de 2016 fiz uma lista com metas e vi que eu tinha um problema: eu não sei como trabalhar com elas. Com o passar do ano eu me transformei, que nem um camaleão,  e vi que aquelas metas não faziam mais o menor sentido! Fiz duas tatuagens, elas poderiam estar nas “metas 2016“, mas não estavam. Então comecei a trabalhar com sonhos. Vi que os sonhos eram o que me preenchiam, o que fazia sentido (e não essas danadas dessas metas). Comecei a listar vários sonhos, dos mais bobos aos mais importantes. Não importa se você tem o sonho de fazer o segundo furo na orelha ou de escalar o Monte Everest. Para determinar os sonhos você precisa se imaginar no seu último dia de vida e perceber que você realmente viveu e que não se arrepende de não ter feito algo (reflita). Você não vai conseguir fazer isso de um dia para o outro, requer tempo, requer reflexão. O bom dos sonhos é que você tem eles para a vida, de acordo com a sua personalidade, não são metas que precisam ser logo cumpridas naquele ano e que talvez te deixem frustrado.

Já conseguiu pensar em alguns sonhos? Então comece a pensar em como realiza-los, não adianta apenas sonhar (sonhos são projetos de vida). Será que esse sonho requer ajuda de terceiros ou depende só de você? Será que vai ter algum custo ou apenas depende da sua força de vontade? Lembrem-se que início de ano não é o único momento que você pode mudar ou estabelecer metas e sonhos (sintam-se a vontade).

Enfim, não é um trabalho fácil, mas projetar requer planos e em um próximo post irei te dar uma ajudinha de como realizar os seus so… PROJETOS DE VIDA.

Por enquanto, assistam este vídeo que tanto me ajudou a enxergar que eu precisava mudar minha perspectiva. Eu assisto ele diversas vezes em vários diferentes momentos (felizes, tristes, empolgantes, ansiosos…). Todas as vezes aprendo uma mensagem nova.